O CEO do NPM, Bryan Bogensberger, renunciou ao cargo que ocupava há pouco mais de um ano. Uma de suas bandeiras foi acabar com a dependência de capital de risco, buscando atrair empresas maiores para a carteira de clientes. 

A renúncia ocorre em meio a algumas polêmicas, como a demissão de funcionários que tentavam uma espécie de sindicalização – mais de 10% da equipe acabou saindo. Além disso, segundo a Business Insider, o estilo de gestão de Bogensberger incomodou muita gente no NPM, alguns com bastante tempo de casa. 

Em nota, o ex-CEO se disse orgulhoso da transformação completa que foi feita em tão pouco tempo (ele entrou em julho de 2018). “Desejo esse sucesso nos próximos anos”, declarou. 

Em julho, um dos fundadores do NPM havia deixado o projeto. Depois de ser CTO e COO, Laurie Voss ocupava a função de Chief Data Officer desde janeiro, mas optou por sair, chacoalhando um pouco mais o ambiente.

A startup agora procura um substituto, já que os demais diretores ficam encarregados das funções diárias e não devem assumir o posto. Por enquanto, uma equipe de executivos sêniores cuida de tudo.

Também ao Business Insider, o ex-vice-presidente de marketing do NPM Jonathan Cowperthwait disse acreditar que o projeto continua muito bem posicionado no setor de ferramentas para desenvolvedores e que a vantagem exclusiva de ser “o centro do universo de código aberto”.

Autor(a)

Time de redação de conteúdos exclusivos da BrazilJS.
É um time diverso, focado e dedicado a trazer o melhor do mundo da Tecnologia e Desenvolvimento Web com a curadoria BrazilJS.