A propaganda política internet alterou a dinâmica das eleições em todo o mundo. Fake news, manipulação e outras estratégias escusas tem provocado reações adversas entre eleitores, candidatos a cargos públicos e especialistas. Em razão disso, a Mozilla está buscando maneiras de capacitar quem vai às urnas sobre essas mudanças causadas pela internet e pela publicidade on-line.

A participação da empresa no Código de Práticas de Desinformação da União de Europeia é parte desse esforço e culminou no lançamento do kit de ferramentas Firefox EU Elections. Esse conjunto de boas práticas fornece informações sobre o processo de votação, de como o rastreamento e a publicidade na rede influenciam o comportamento de voto. E, ainda, como os usuários podem se proteger facilmente.

A ideia de evitar fraudes ou complicações no pleito passa ainda por fornecer esclarecimentos técnicos. Um painel de análise para ajudar pesquisadores e jornalistas a monitorar o pleito foi criado. Essa coletânea de informações reúne dados sobre anúncios políticos veiculados em diversas plataformas e fornece uma visão concisa dos bastidores sobre como anúncios eram compartilhados e segmentados.

Contudo, compilar material confiável depende de as plataformas cumprirem o próprio compromisso de disponibilizar informações por meio de seus próprios dados de arquivamento de anúncios.

Já foram realizados relatórios com estatísticas agregadas sobre gastos e impressões de anúncios políticos no Facebook, Instagram, Google e YouTube. A Mozilla também fez apontamentos de falhas que precisam ser corrigidas na rede social criada por Mark Zuckerberg.

Autor(a)

Time de redação de conteúdos exclusivos da BrazilJS.
É um time diverso, focado e dedicado a trazer o melhor do mundo da Tecnologia e Desenvolvimento Web com a curadoria BrazilJS.