#BookingHacks All Women Edition – Eu fui!

Em:

De 24 a 26 de julho de 2017 aconteceu a primeira edição do Hackathon: All Women Edition na Booking, em Amsterdam. Eu estava lá e vou contar aqui como foi o processo de seleção e o evento!

Hackathon: All Women Edition

Hackathon: All Women Edition

Como foi o meu processo

Em abril eu estava navegando pela web quando encontrei uma página no site da Booking convidando qualquer pessoa que se identificasse como mulher: UX, Frontend, Backend, Mobile, Product Owners ou Product Managers e Redatoras, para participar de um Hackathon exclusivo para mulheres em julho, em Amsterdam.

Depois de passado o choque – eu nunca havia participado de um hackathon, e ter a chance de fazer a minha estréia em Amsterdam, com tudo pago, seria incrível demais – eu arrumei meu currículo e enviei.

Demorou bastante para entrarem em contato comigo, eu já estava achando que não tinha sido selecionada, já estava quase me conformando quando, dia 15 de junho, recebi um e-mail me convidando para fazer um teste de Frontend no Hackerrank. Tinha uma data limite para eu enviar o teste, e esse teste teria a duração de 20 minutos. Estudei bastante até a data limite, codei, resolvi desafios de algoritmos, tentei me preparar o máximo que eu pude. O tempo estava se esgotando, então resolvi clicar no link e iniciar o teste. Para a minha surpresa, o teste era teórico! Eram 20 perguntas de múltipla escolha sobre fundamentos de Html, CSS, JavaScript e jQuery. O nervosismo com o tempo curto – era uma média de um minuto por questão – me atrapalhou bastante! Mas respondi o que eu sabia e tentei responder o melhor que eu pude as que eu não sabia ou não tinha certeza. E enviei!

Depois de longos cinco dias a recrutadora me escreveu querendo marcar uma conversa por Skype. A única coisa que eu pensei na hora foi: Eu passei no teste!!!

Alguns dias depois conversamos por Skype. Falamos sobre a minha experiência anterior, sobre o que eu estava fazendo e estudando no momento, ela me fez perguntas sobre teste A/B e conversamos um pouco sobre o assunto. Depois ela me falou sobre o Hackathon. No fim da ligação, inesperadamente, ela me convidou para ir até Amsterdam para fazer parte do Hackathon! Nem acreditei no que eu estava escutando!

Só esta semana eu fiquei sabendo que eu fui uma das 45 selecionadas entre mais de 1000 mulheres que se inscreveram!

Como foi o Hackathon

Uns dias antes do Hackathon os organizadores criaram um grupo no Slack para as participantes irem se conhecendo. 45 mulheres de 20 países começaram a se apresentar, conversar, marcar encontros e, inclusive, algumas já começaram a formar times pro evento.

Primeiro dia

Depois de uma noite muito divertida conhecendo mulheres maravilhosas, começou nosso primeiro dia de Hackathon na manhã do dia 24 de julho, uma segunda-feira. Começamos as atividades assistindo algumas talks muito inspiradoras, como a da Iffat Gill, da Code to Change, uma organização internacional cuja missão é empoderar mulheres para se tornarem líderes em diversas áreas.

Iffat Gill from Code to Change

Iffat Gill from Code to Change

Após as talks formamos grupos para conhecermos os escritórios da Booking e depois paramos para almoçar para, à tarde, formarmos os times.

No começo da tarde formamos 8 times, de 5 ou 6 mulheres cada. Cada time tinha o objetivo de criar uma aplicação, desktop e/ou mobile, que pudesse aprimorar a experiência do usuário da Booking. A API da Booking foi liberada para os times, e ficaria ao nosso critério utilizá-la ou não.

Nesse primeiro dia o foco seria montar os times e decidir o que desenvolver. O nosso time tinha muitas ideias, então resolvemos, com a ajuda de uma Product Owner que fazia parte da mentoria do evento, listá-las e decidir qual faria mais sentido desenvolver, com foco no usuário do site. Decidimos por fazer uma aplicação que ajudasse o usuário, que tem em mente alguns pontos de interesse na cidade de destino, a escolher a melhor opção de hotel, com base na localização desses pontos.

Nosso time, Hack-5, no primeiro dia de evento.

Nosso time, Hack-5, no primeiro dia de evento.

Segundo dia

O segundo dia de evento começou cedo, 8:30 da manhã. Os times trabalharam nas suas aplicações até à tardinha.

Mas tanto trabalho foi bem recompensado, tivemos uma ótima surpresa na saída, um passeio de barco pelo canal, regado a drinks e pizza!

Passeio de barco regado a drinks e pizza!

Passeio de barco regado a drinks e pizza!

Terceiro e último dia

O terceiro dia começou cedo também, e iria ser mais curto. Tivemos até 10:30 para terminarmos nossos projetos, as apresentações seriam às 11hs.

Depois de um breve intervalo, começamos as apresentações. Foram todas incríveis, com um nível técnico muito alto! Muitas usaram a API do Google Maps junto com a API da Booking.

Depois das apresentações, o resultado!

O nosso time não levou o primeiro lugar, mas conquistamos uma menção honrosa pelo nosso projeto! Nós usamos a API do Google Maps, API do Yarn e a API da Booking, criamos um aplicativo para o usuário selecionar localidades numa determinada cidade que ele gostaria de visitar, e a partir dessas localidades selecionadas o aplicativo sugere hotéis com a melhor localização a partir desses pontos.

Projeto do nosso time, que recebeu uma menção honrosa.

Projeto do nosso time, que recebeu uma menção honrosa.

Após a divulgação dos resultados ainda assistimos a uma talk maravilhosa da Janneke Niessen, da InspiringFifty, que compartilhou este vídeo inspirador conosco:

Prêmios

Os nossos maiores prêmios nesse hackathon foram a amizade que todas fizemos e o aprendizado que tivemos. Não houve disputas, não houve inveja, todas se ajudaram, todas torciam umas pelas outras, inclusive houve desenvolvedora que ajudou outro time a resolver um bug!

Fomos todas parabenizadas pelo alto nível técnico dos projetos.

Saímos de lá conhecendo mulheres maravilhosas e talentosas do mundo todo e tremendamente agradecidas pela excelente oportunidade que tivemos de compartilhar nosso conhecimento!

E eu? Eu voltei feliz, realizada e cheia de idéias! Quem sabe até mesmo fazer um hackathon exclusivo para mulheres aqui no sul?

  • BRJS2017: Confira como foram as palestras da tarde do primeiro dia

    Palestrando pela segunda vez na BrazilJS, Jean Carlo Emer (@jcemer) falou sobre Types and Immutability: why you should care. Ele disse que esse é “o assunto mais relevante do momento”, e ainda alertou: JS é uma linguagem dinâmica e fracamente tipada. – Tipos sempre foram uma dor de cabeça em JS – afirmou, antes de […]

  • Web Notification API

    A API de notificações já está bastante madura e funcional. Basicamente, o que a API de notificações faz é solicitar permissão ao usuário para que uma determinada página possa exibir uma mensagem, mesmo que o usuário não esteja mais com o foco nesta página, ou esteja até mesmo fora do browser. Para explicar como isto […]

  • Diferenças entre “Valor” e “Referência” em JavaScript

    JavaScript é uma linguagem orientada a objetos: isso significa que a maioria das coisas em JavaScript são Objetos.

Patrocinadores BrazilJS

Gold

Silver

Bronze

Apoio

BrazilJS® é uma iniciativa NASC.     Hosted by Getup